Fórmula Quântica: 8 Dicas Para ser um Iluminado de Fachada

O advento quântico em sua interpretação espiritualista gerou novo nicho mercadológico: o dos iluminados de fachada. Para compreender a mais esta super produção com o “jeitinho brasileiro”, façamos uma analogia com o acendimento de uma lâmpada: antes que ilumine a sala, a corrente elétrica precisa passar por fios e postes, ser gerada por turbinas que receberam violentas pancadas das águas de uma usina hidrelétrica qualquer, estudos e mais estudos de engenharia… Mas para que tanto trabalho se, para iludir a mente, basta desenhar no papel uma lâmpada acesa? O mesmo vale para a iluminação espiritual: pra que anos e anos de estudo, meditação e benevolência se podemos simplesmente usar as técnicas do marketing digital para desenhar uma falsa luz espiritual na mente dos incautos buscadores internautas, leitores de títulos e manchetes? Nessa perspectiva, transmitiremos o primeiro compêndio da arte de aparentar luminosidade espiritual: oito dicas exclusivas, baseadas em ‘cases’ dos mais iluminados grupos de Facebook. Se bem utilizadas, as técnicas garantirão seguidores aos não-seguidos, dinheiro aos endividados e muito do melhor ‘polissexo-tântrico’ aos amantes manuais solitários. Vamos a elas.


1 – Leia meia dúzia de livros que utilizem termos da física quântica para se referir a fenômenos espirituais. Não precisa entender o livro, basta ter alguma destreza em aplicar terminologias “quânticas” (sacou?, “quântica”) em discursos e conversações cotidianas. Evite Amit Goswami, trata-se de filosofia verdadeira e, de qualquer forma, você não vai entender mesmo. Você só precisa ostentar, certo?


2 – Misture diferentes ramos da Ciência, Religião, Metafísica e Filosofia com a mesma facilidade que se mistura ketchup e mostarda no cachorro quente do Lanchão do Tio Jão. Para quê perder tempo com operações mentais abstratas e aplicações práticas feitas por grandes pensadores, se você já é iluminado (de fachada, claro, mas ninguém sabe) e Deus lhe “revela” em primeira mão, direto da fonte, ou melhor, da Fonte, toda realidade do universo? Estudo, perseverança e foco são para os “trouxas quânticos”.


3 – Use também com frequência palavras como “humildade”, “Deus”, “Luz”, “espiritualidade”, “fé”, palavras que carregam o peso de tradições milenares. Mas veja bem: não estamos dizendo para você ser humilde, ter fé e menos ainda para você ter um contato verdadeiro com a divindade. Basta usar com frequência as PALAVRAS, entendido?


4 – Tome atitudes estranhas aos olhos da cultura vigente e as atribua aos comandos dos “mentores”. Fale sobre as mais loucas viagens astrais. Diga que recebeu ferramentas de cura diretamente dos Et’s (descreva seres com formas esquisitas, um insetóide, talvez); se alguém pedir demonstração, demonstre: se der certo, grave e poste como testemunhal (impulsione, de preferência), se der errado, atribua à falta de fé do sujeito. Use belos cenários de fundo, ostente subliminarmente neles algo materialmente valioso, caso não tiver nada para ostentar, use natureza. Disfarce imperfeições humanas, afinal, você é um quase vice-Deus.

5 – Aprenda: os debates foram feitos para se vencer a qualquer custo, com sofismas, falácias e encenação se necessário. Aprender com o contraditório é coisa para pessoas inocentemente honestas. Sempre que perceber que uma tese sua foi refutada por alguém mais culto, bondoso e iluminado, use a estratégia do relativismo. Diga ao adversário: “cada um tem a sua verdade, não queira impor a sua aos demais”. Afinal, nada mais verdadeiro do que a ausência de verdade (não é mesmo?) e todos sabemos que as palavras de Cristo são tão válidas quanto as do Tio Jão, o dono do Lanchão…

6 – Ao falar publicamente em suas lives e vídeos, não seja amador a ponto de usar a sua própria entonação vocal. Sutilmente, mude a cadência, a velocidade, a altura e a gravidade naturais, usando vez por outra palavras em desuso na atualidade. Afinal, qual espírito de luz original se rende aos modismos linguísticos contemporâneos durante sua canalização? Além disso, a marcação estilística de época pode render charme, elegância e credibilidade ao discurso.

7 – A mente humana é dialética e flui de acordo com opostos, certo? Eureca: a melhor maneira de conquistar atenção e respeito dos incautos é polemizar com algum trabalho espiritualista já consolidado. Não faz a menor diferença se você compreende ou não o trabalho dele (a maioria dos seguidores também não compreende), basta contestá-lo de forma indireta com argumentos emocionais baseados em supostas fontes espirituais que obviamente não podem ser reveladas. O objetivo é gerar medo irracional e associar esse medo ao trabalho do referido concorrente. A solução encorajadora para o impasse, lógico, será o seu trabalho.

8 – Espalhe por aí que você é um grande ser de luz reencarnado. Nada de abstrações do tipo “rei”, “mago”, “mestre”, dê nomes, de preferência famosos. De Akhenaton e São Francisco de Assis para cima.

PRECAUÇÕES IMPORTANTES
Além das oito dicas anteriores, colocadas em lista de forma estratégica apenas para atrair a atenção do leitor preguiçoso, fornecemos mais oito precauções fundamentais: 1 – não incentive muito a meditação, ela dá autonomia ao sujeito. 2 – não esteja sempre disponível aos seguidores, a escassez é um gatilho mental poderoso. 3 – Leia frases soltas dos mestres e use-as como se tivesse lido seus livros; Osho é ótimo para isso. 4 – Quando o assunto estiver chato, fale sobre “sexo quântico” que a temperatura sobe. 5 – Diante de perguntas profundas ou difíceis, dê um sorriso sutil e sorrateiro, mas não diga nada; o silêncio transforma burros em sábios. 6 – Termine sempre seus diálogos com “Namastê”. 7 – Dê publicidade aos seus atos de caridade; de preferência use um colaborador para fazê-lo de forma indireta. 8 – Namore apenas pessoas bonitas e dê publicidade a esse namoro dizendo sempre que foi o “universo quem trouxe”.

OBSERVAÇÕES FINAIS
Tendo aplicado com algum zelo todos estes ensinamentos, não garantimos que você terá algum contato real e consciente com a espiritualidade e nem que experimentará o amor de Ágape, que premia trabalhos benfeitores e desinteressados. Por outro lado, se chegou até aqui sem nenhum remorso, parabéns: está habilitado para ganhar algum dinheiro com a boa fé de pessoas que não são tão espertas quanto você. Não custa lembrar que, como não cobramos nada pelo artigo e em face do compulsório livre-arbítrio, não aceitaremos divisão dos carmas decorrentes de tais ações, sejam eles desta ou de futuras encarnações.  

PS: Como também queremos dar a oportunidade para você ajudar tão “iluminado” trabalho, aceitamos dicas que não constam nesta lista. Quais as suas sugestões para se tornar um iluminado de fachada? (Não lhe pagaremos nada, pois o trabalho voluntário ajuda mais a vocês do que à gente.)  Namastê.J.C. Espirituals Productions

Publicado por João Cássio

Cantor, compositor e escritor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: